Homozapping

Julho 19, 2007

homozzaping.jpg

Homozapping é o título de uma curta-metragem realizada para a disciplina de Técnicas Avançadas de Apresentação, na ESTG-IPVC por Francisco Correia, Humberto Duarte, Ricardo Falcão e Patrício Brito. Ora, o argumento foi totalmente escrito e adaptado durante muito tempo nas profundezas da mente cerebral do nosso colega e amigo Ricardo Falcão. Até que, finalmente um belo dia, houve um bom pretexto para trazer este sonho à realidade!
Um sonho que para ele, e felizmente para nós (grupo), se tornou pura… realidade!
Valeu a pena, pela experiência em aprender a desenvolver um argumento, o guião técnico, o storyboard e finalmente a curta metragem!!! E que grande aventura essa, repleta de logística e percalços pelo caminho! Reconheço nesta faceta, uma grande dedicação e empenho por parte de todos em conseguir obter um resultado que nos encheu de orgulho! Mas, o que importa referir é que o filme existem e está aí para ser visto, amado ou odiado, criticado ou elogiado! Boa Sessão… -) (Patra)

ver filme; ver fotos

O QUEBRA-CABEÇAS

Julho 17, 2007

«Começamos com um quebra-cabeças, aquele dos “nove pontos”, porque as etapas que conduzem à solução exemplificam, sem necessidade de muitas palavras, a “filosofia” que guiou a redacção deste livro. Luisella de Cataldo «Esame e Controesame nel Processo Penale» (Cedam, 2000)

Deck

Pede-se que se liguem estes nove pontos usando só quatro linhas rectas, desenhadas uma a seguir à outra sem levantar o lápis do papel. À primeira vista o problema parece fácil, mas depois, tentativa após tentativa, chega-se inevitavelmente à conclusão que são precisas mais de quatro linhas para unir todos os pontos. Acaba-se quase sempre por achar que se trata de um problema impossível de resolver.

O erro!!

O erro é pensar que existe uma premissa segundo a qual as rectas não devem ultrapassar os limites estabelecidos pelas linhas externas que ligam os pontos. Se se ultrapassar este limite (que não foi estabelecido quando o problema foi colocado) e se se “ousar” ultrapassar o limite definido pelos pontos, o problema torna-se fácil, como se vê na figura que mostra a solução.

Este quebra-cabeças fornece incontáveis pontos de reflexão e ensina que:
– Frequentemente não conseguimos resolver um problema porque impomos a nós próprios fronteiras ou limites inexistentes;
– Pode-se pensar de um modo diferente;
– Nem sempre a solução deve está debaixo do candeeiro só porque “aí se vê”;
– Cada modo particular de olhar as coisas é só um entre muitos outros possíveis;
– Transformar uma conjectura (que não passa da imaginação) num factor crucial, isto é, numa limitação, pode paralisar a situação e tornar impossível a mudança de um determinado ponto de vista para a adopção de um diferente».
Talvez os ensinamentos deste quebra-cabeças possam contribuir para resolver alguns dos problemas com que nos defrontamos no dia a dia.

É com enorme entusiasmo que apresentamos a curta metragem “Não contes o segredo” inserida no concurso “Fast Forward Festival” organizado pelo grupo Bracarense “Velha-a-Branca“, realizado no dia 19 e 20 de Outubro de 2006. O convite foi lançado pelo colectivo “alcateia¨design group“, para participar nesta hilariante odisseia, para conseguir realizar a curta-metragem em menos de 24 horas de produção. Os responsáveis desta produção foram: Bruno Daniel, Carina Bernardete, Ricardo Falcão, Patrício Brito e Francisco Mendes (xiko madeira). Uma experiência que se revelou muito enriquecedora e que à muito andava para ser revelada…

Agradecimentos: honeysound Música: nikouala

fonte: sugarman

lobos.jpg

ilustra buil

Julho 3, 2007

ilustr-smart.jpg

Carina Bernardete

ilustracaovinilipvc.jpg

Carina Bernardete